Picciani, queremos o plebiscito da Cedae

29 deputados e deputadas estaduais protocolaram um pedido de plebiscito sobre a venda da Cedae.
Agora, a decisão está nas mãos do presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB).
Precisamos nos mobilizar rapidamente para que ele não enterre o plebiscito.

Envie sua mensagem para Picciani agora!

Quem você vai pressionar

Jorge Piccianijorgepicciani@alerj.rj.gov.br

27248pessoas querem decidir o futuro da Cedae

Um pedido de plebiscito para que a população do estado decida o futuro da Cedae acaba de ser protocolado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Mas a decisão sobre o plebiscito está nas mãos do presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB), que precisa publicá-lo no Diário Oficial para que o projeto siga para votação.
É importante ressaltar que o projeto aprovado no dia 20 de fevereiro na mesma Alerj apenas autoriza a venda da Cedae, como contrapartida de um empréstimo de R$ 3,5 bilhões. Ou seja, ainda há espaço para que a população seja ouvida sobre os rumos da companhia e o plebiscito garantirá que isso aconteça.
Por isso, temos que mostrar para o presidente da Alerj que os cidadãos e a cidadãs fluminenses querem um processo participativo e o direito de decidir o futuro da Cedae. Sabemos que Picciani sonha com voos mais altos em sua carreira política (ele quer o governo do Estado em 2018) e tem demonstrado preocupação com sua imagem pública. Se receber milhares de mensagens nas próximas horas, Picciani ficará numa saia justa: para quem quer ser governador, negar o pedido de grande parte da população por participação é um tiro no pé.
Envie agora sua pressão à Picciani: grande parte da atual crise do estado é fruto da irresponsabilidade dos políticos do Rio.

Com a gente no pé deles, eles não passarão!








A Cedae gera dividendos para o estado. Entre 2012 e 2015, o lucro líquido foi de R$1,1 bilhão e contribuiu para aumentar a renda do governo.



O empréstimo que o governo receberá pela venda da Cedae é de R$ 3,5 bilhões, mas esse valor não cobre nem dois meses da folha dos servidores do estado, que é de R$ 2,1 bilhões por mês.



O valor total da futura venda da Cedae será usado unicamente para o pagamento de dívidas do estado com a União.









Sendo a favor ou contra a privatização, precisamos decidir se queremos mesmo fazer esse acordo em troca de um alívio superficial nas contas do estado.









De acordo com o artigo 120 da Constituição do Estado do Rio de Janeiro, são necessárias pelo menos 28 assinaturas de deputados estaduais (⅖ do total). O pedido de plebiscito já tem essas assinaturas.




Uma vez protocolado, o pedido de plebiscito deve ser publicado no Diário Oficial e essa publicação depende do presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB). É neste ponto que o pedido está neste momento.



Depois de ser publicado, o pedido se torna um Projeto de Resolução e vai para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que deve emitir um parecer sobre a constitucionalidade do projeto em até 14 dias.


Após o parecer da CCJ, as outras comissões pelas quais o projeto pode passar têm 10 dias para, caso queiram, também discutir o projeto e elaborar pareceres.





Depois, o projeto vai à votação em turno único no plenário, com votação nominal e precisa ser aprovado por maioria absoluta (pelo menos 36 votos).






Finalmente, se aprovado, o projeto de plebiscito segue para o Tribunal Regional Eleitoral, que terá até 3 meses para organizar a votação.














Bebeto (PDT) Bruno Dauaire (PR) Carlos Minc (sem partido) Carlos Osório (PSDB) Dr.Julianelli (REDE) Eliomar Coelho (PSOL)
Enfermeira Rejane (PC do B) Flávio Bolsonaro (PSC) Flávio Serafini (PSOL) Figueiredo (PROS) Geraldo Moreira (PTN) Gilberto Palmares (PT) Jânio Mendes (PDT) Jorge Felipe Neto (DEM)







Lucinha (PSDB)
Luiz Martins (PDT)
Luiz Paulo (PSDB) Marcelo Freixo (PSOL) Márcio Pacheco (PSC) Martha Rocha (PDT) Paulo Ramos (PSOL) Rosenverg Reis (PMDB) Silas Bento (PSDB) Tio Carlos (SDD) Wagner Montes (PRB) Waldeck Carneiro (PT) Wanderson Nogueira (PSOL) Zaqueu Teixeira (PDT) Zeidan (PT)


Fala com a gente!
contato@meurio.org.br

Por que o Meu Rio entrou nessa?

Acreditamos que a participação dos cidadãos e das cidadãs nas decisões políticas são indispensáveis para construção de uma cidade mais justa, inclusiva e democrática. A Cedae é um ativo lucrativo do estado e sua venda, nos termos em que está sendo feita - às pressas, por valores baixos, sem ampla discussão -, é inconcebível para grande parte da população. A equipe do Meu Rio trabalha diariamente para pautar, cobrar e fiscalizar os políticos locais e é isso que faremos nesta campanha.